Artigos

A Verdadeira e Maior Alegria | Alegria Verdadeira Até os Confins da Terra

“Vede que imenso amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos tratados como filhos de Deus; e, em realidade, somos filhos de Deus!  Por esse motivo, o mundo não nos conhece, porquanto não conheceu a Ele mesmo.  Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser, todavia, sabemos que quando Ele se manifestar, seremos semelhantes a Ele, pois o veremos como Ele é”

(1ª João 3.1-2)

Qual a maior alegria que uma pessoa pode ter ou alcançar?  Seria uma posição de destaque na sociedade? Seria ganhar uma grande soma de dinheiro e desfrutar de todas as regalias possíveis? Podemos fazer uma lista enorme de opções, mas elas estariam longe da resposta correta.

A verdade é que podemos ter momentos de alegria, porém ninguém foge do fato de que um dia irá morrer e então seguirá a eternidade: com ou sem Deus.  Muitos tentam “fugir” dessa realidade com frases do tipo “todos são filhos de Deus”, “tenho Deus no coração”, mas o texto lido, bem como toda Bíblia nos mostra que na verdade não são todos as pessoas filhos de Deus, somos criaturas de Deus, afinal Deus tem apenas um único Filho, Jesus Cristo.

Imaginem uma criança em um orfanato, sem os pais e sentindo-se abandonada, qual sua alegria quando um casal vem e em um ato de amor faz sua adoção e passa a fazer parte de uma família!  Nessa ilustração, os pais adotivos não sabem nada sobre a vida pregressa da criança, que talvez nem tenha mesmo um passado a ser contado dependendo de sua pouca idade.

Essa é uma ilustração da obra de salvação, onde nós somos a criança e o casal que adota representa Deus, a diferença é que éramos criaturas que se rebelaram contra o seu Criador, sendo por isso merecedores da morte eterna, mas apesar desse fato condenatório contra nós, Deus agiu com um imenso amor, mesmo sabendo quão pecadores e ingratos eram os alvos de seu amor.

A única maneira de sermos filhos de Deus é por adoção “…mas recebeste o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai”(Romanos 8:15b). Isso acontece pela graça de Deus em ter enviado seu único Filho para nos salvar.  Os que se arrependem de seus pecados e creem que Jesus Cristo é o Filho de Deus, que ele morreu para o salvar, são considerados filhos passando a desfrutar dessa alegria, sendo considerados herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo (conf. Romanos 8:17)

Por isso que o evangelista começa chamando a atenção para o que ele vai dizer “Vede”, como dizendo “vejam, olhe para que algo extraordinário vou lhes falar !”  Esse algo extraordinário é o imenso amor do Pai, que apesar de tudo que somos, chegou ao ponto de nos tratar como seus filhos e o tratamento que recebemos é tão maravilhoso que podemos nos sentir como filhos verdadeiros!

Amados, utilizando o modo de tratamento do evangelista, essa alegria que agora temos de sermos tratados como filhos e consequentemente livres da culpa do pecado vai ser ainda maior, e esse fato deve elevar ainda mais nosso censo de alegria, pois quando ele se manifestar (sua vinda gloriosa) nós o veremos face a face.  Que alegria indizível poder olhar, contemplar e adorar o nosso redentor.

E para que essa alegria de um salto ainda maior de relevância em seu coração, quero lembrar-lhes o fato de que somos feitos filhos de Deus pela Sua graça  maravilhosa e não por algo de bom que Deus pudesse ver em nós, a não ser os méritos de Cristo, pois o mesmo autor dessa epístola em seu evangelho nos revela que ninguém é feito filho de Deus por hereditariedade (pelo sangue), nem por vontade própria (pela carne ou desejo humano), mas somente por Deus que providenciou a salvação e temos acesso a essa adoção quando cremos no Filho.

“ Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome; Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus” (João 1:12-13)

 

 

Existe alegria maior do que esta ?