Artigos

Abigail | Mulheres Especiais

Texto-Base: 1º Livro de Samuel, Capítulo 25, versículos 2 a 42

O contexto de 1 Samuel 25 retrata um casal bastante heterogêneo: o marido, Nabal, cujo nome significa: “Loucura”, era duro e maligno em suas ações; a esposa, Abigail, que significa “Meu pai é alegria”, era sensata e formosa.

A narrativa bíblica apresenta um acontecimento onde Davi, que na ocasião, fugia de Saul, vivia na companhia de seiscentos homens pelos montes e desertos, e acabavam prestando serviço de proteção contra salteadores aos pastores e rebanhos daquela região do Monte Carmelo. Era comum, quando da tosquia (retirada da lã) das ovelhas, o dono do rebanho retribuir os favores recebidos por estes grupos.

Ao ouvir Davi que Nabal tosquiava as suas ovelhas, enviou dez de seus homens para saudá-lo e receber de suas mãos algum presente (comida para ele e seus homens) em reconhecimento. Nabal respondeu conforme o seu caráter egoísta e maligno, desprezando e insultando a Davi e seus homens. Davi irou-se muito ao ouvir a resposta de Nabal e decidiu exterminar de sua casa todos os do sexo masculino, e, levando consigo quatrocentos homens armados de espadas, desceu o Monte Carmelo em direção ao acampamento de Nabal. No entanto, um dos empregados contou a Abigail o que havia acontecido e a preveniu sobre o que aconteceria a Nabal e à sua casa.

Abigail, por sua vez, agiu rapidamente e com muita sabedoria e sensatez. Providenciou muita comida e mandou carregar jumentos, enviando por mãos de seus servos para Davi; ela, porém, os seguiu de perto. Ao encontrar-se com Davi, desceu rapidamente do seu animal, prostrou-se diante dele com o rosto em terra e suplicou o seu perdão pelas ofensas que o seu marido havia feito. Ela assumiu a culpa pelo acontecido, mesmo sem estar presente quando os servos de Davi chegaram, exaltou a Davi, chamando-o de “meu senhor” por oito vezes, e a si mesma de “tua serva” por seis vezes. Usou de muita sabedoria ao falar e convenceu a Davi a não matar ninguém, deixando a vingança a cargo de Deus. É notável o comportamento desta mulher:

  • Ela amou ao seu marido apesar de ele ser mau.
  • Ela agiu imediatamente e com prudência.
  • Planejou muito bem as suas ações.
  • Confiou no Senhor para livrar a sua casa.
  • Foi sábia, sensata e humilde.
  • Assumiu a culpa do seu marido.
  • Intercedeu em favor de Nabal.
  • Teve tato ao voltar para casa, pois seu marido estava embriagado. Ela não lhe disse nada até pela manhã.
  • Foi honesta e não escondeu nada de seu marido, referindo a ele tudo o que havia acontecido e o que fizera a fim de salvá-lo.

Some-se a todas estas qualidades de caráter, a beleza física – Que Mulher!

Não foi sem razão que Davi a pediu em casamento após a morte de Nabal. Muitas são as lições que podemos aprender com esta mulher especial:

  • A beleza interior nos torna mais belos por fora.
  • O casamento é um pacto de cumplicidade, por isso, o cônjuge é corresponsável pelas ações do outro.
  • Nosso foco deve estar no cônjuge e nossas ações devem buscar o seu bem-estar. Isto é, o objetivo do marido deve ser fazer a sua esposa feliz e vice-versa.
  • Devemos sempre buscar a orientação de Deus em todas as nossas decisões e atitudes.

Que Deus nos ajude a praticar a Sua Palavra.