O Desafio de ser Mulher

Share

Em março é comemorado o dia da mulher e o mês é tido como referência para a lembrança do papel que nós mulheres temos na existência como mães, filhas, esposas, amigas, irmãs, cuidadoras, conselheiras, entre tantas outras funções que exercemos todos os dias do ano.

O papel da mulher, nessas várias vertentes, tem sido construído ao longo da história da humanidade por meio do enfrentamento de muitos desafios relacionados à superação de preconceitos, desigualdades, submissões e violências, mas devemos sempre lembrar que fora outorgado a uma mulher o principal papel para Deus se fazer homem e nos salvar por meio da vinda de seu filho, o de mãe de Jesus. A partir disso, fica fácil encontrarmos força e serenidade necessárias para seguirmos emanando as nossas potências e desempenhando as missões que temos em nossos lares e na comunidade na qual estamos inseridas.

A lição bíblica nos adverte ter sido incumbência da mulher gerar nova vida, o que se revela não só pelo nascimento de Jesus, mas também por meio das várias transformações pelas quais passaram muitas das mulheres que caminharam ao seu lado, abandonando vidas vazias e de enfermidades para se colocarem a serviço de Cristo, como fizeram Maria Madalena, Joana e Suzana, mencionadas no Evangelho de Lucas (Lucas 8:1-3). É nessa geração de vida em Cristo que devemos nos direcionar.

O desafio atual é nos afirmarmos, sim, como mulheres livres, independentes, respeitadas e dignificadas, mas não do modo como se propõe hoje, pelo embate social que valoriza as características exteriores e exalta a afronta aos homens, aos conceitos de família e às características femininas que nos são próprias. O nosso propósito deve ser pelo reconhecimento de que somos exemplos de transformação, amor, cuidado e serviço a Deus.

Nesse contexto, muito ao contrário de entramos em disputas de poder, cabe-nos espalhar  pacificação, como fez Abigail, esposa de Nabal, que, com seu bom senso e espírito conciliador, evitou a destruição de sua família pela rudez de seu marido, o qual, tendo insultado o rei Davi, recebeu sentença de morte. Em 1º Samuel 25:32-33, disse Davi a Abigail: “Bendito seja o Senhor, o Deus de Israel, que hoje a enviou ao meu encontro. Seja você abençoada pelo seu bom senso e por evitar que eu hoje derrame sangue e me vingue com minhas próprias mãos”.

A transformação, o respeito, a liberdade e a igualdade que tanto almejamos, pelas quais lutamos e de que lembramos neste mês de março, não será alcançada se nos desgarrarmos das lições que a Bíblia nos traz. É com amor, ternura, sensatez, humildade, educação e honra que seremos abençoadas e serviremos como instrumentos de mudanças e renascimentos nas nossas vidas e na sociedade.

Que o mês de março seja de reflexões que nos conduzam como mulheres que exalam potência e força, de forma serena e apaziguadora.